PRR mantém investimentos estratégicos para o Tâmega e Sousa

Plano Recuperação Resiliência

A versão final do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), apresentado pelo Governo à Comissão Europeia, mantém os investimentos estratégicos para a região do Tâmega e Sousa contemplados na versão preliminar do documento.

Estes investimentos correspondem a reivindicações da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) e dos seus Municípios e alguns deles estavam já previstos no Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030). A sua inclusão no PRR vai permitir acelerar a sua concretização e constituirá um dos maiores investimentos em infraestruturas rodoviárias na região.

As prioridades apresentadas pelo PRR para o Tâmega e Sousa garantem um conjunto de investimentos na rede rodoviária da região, a executar até 2026, entre eles a construção do IC35, ligando Penafiel (EN15) a Entre-os-Rios, a construção da ligação de Baião à Ponte da Ermida (Resende), a construção da variante à EN211, de Quintã (Marco de Canaveses) a Mesquinhata (Baião), com ligação ao concelho de Cinfães, e a construção da variante à EN210, de Celorico de Basto à A7.

Estas intervenções visam organizar e gerir melhor o tráfego rodoviário, retirando veículos das áreas urbanas e canalizando-o para corredores de tráfico rápido, com melhores condições de segurança, assim causando menos impactos a nível ambiental, mas também minorar os impactos negativos que a ausência destas ligações tem provocado na rede rodoviária da região e, consequentemente, nos agentes económicos, em especial na competitividade das empresas.

A estes investimentos, já previstos no PNI, somam-se a construção da ligação da Zona Industrial de Cabeça de Porca (Felgueiras) à A11 e a melhoria das acessibilidades à Área de Localização Empresarial de Lavagueiras (Castelo de Paiva). Trata-se de alavancar o investimento já efetuado nas Áreas de Acolhimento Empresarial destes concelhos, constituindo o suporte mais adequado para garantir a entrada e saída de mercadorias de forma eficiente e económica.

A concretização destes projetos irá assegurar a melhoria das acessibilidades na região do Tâmega e Sousa, permitir a redução do tempo de percurso nas áreas urbanas, desenvolver as condições de mobilidade, potenciando desta forma o crescimento económico e a criação de emprego na região.

Estes investimentos serão executados até 2026, com recursos que ascendem a 16.644 milhões de euros, dos quais 13.944 milhões de euros correspondem a subvenções e 2.300 milhões de euros de empréstimos.


Partilhe com os seus seguidores

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

PUB


 

Linha do Comércio

A Linha do Comércio tem como objetivo potenciar oportunidades de negócio, divulgar produtos e serviços das empresas locais.

Simultaneamente, esta plataforma pretende possibilitar o desenvolvimento de ações concertadas de promoção e dinamização de eventos.

Com esta presença virtual coletiva espera-se que haja um reforço da capacidade de cooperação entre os empresários locais. O Nome Linha é associado ao Comboio, meio de essencial importância para ligar gentes e terras.

É com este carácter agregador que pretendemos ligar o comércio e divulgá-lo daqui para o Mundo.

Loading...

Novidades

Áudios Recentes